quinta-feira, 1 de março de 2018

par de deux de pardais...



Sem dar um pio.
Arrepios...
Ninho em flor no azul de céu sutil.

À luz das salinas o corpo trina
silenciosa rima pela coluna em espiral.
Liquido efeito rasante no pico.
O bico esquerdo do peito
em exclamações contínuas.

Por um momento o sentimento
tem a dimensão e a ternura
da faca ao fatiar a cebola.